This story is fiction, and any events or near-similar events in actual life which did transpire have not prejudiced the author toward any figures involved or uninvolved; in other words, the mind, the imagination, the creative facilities have been allowed to run freely, and that means invention, of which said is drawn and caused by living one year short of half a century with the human race . . . and is not narrowed down to any specific case, cases, newspaper stories, and was not written to harm, infer or do injustice to any of my fellow creatures involved in circumstances similar to the story to follow.


(Charles Bukowski, "The Murder Of Ramon Vasquez")

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

No mundo da lua

Será coincidência que a melancolia volte quando escrevo sobre Alice? Aqui Mirna já é solar e supernova, enquanto Alice lua e eclipse. E é no delírio lunar que reencontro Alice, pálida como sempre foi, ao menos aqui nas fotos que sobraram.

Os efeitos da lua sobre os homens. Torno-me um licantropo raivoso. Dentes à mostra, pêlos eriçados, aguardando a bala de prata direto para o peito, e a bala de prata se chama Alice. "Lunático" vem de lua, ela que embaralha as mentes. Ritmos das marés e oceanos! A lua condiciona tudo, e é como a lua que Alice orbita em torno de mim. Mas só em espírito, só como espectro: fisicamente está distante. A lua mais perto da Terra que Alice de mim.

Estou dizendo essas coisas porque entraremos em lua cheia. E lembrei que, uma vez, Alice e eu brincávamos sobre nos encontrar na superfície lunar.

3 comentários:

  1. “Luna, tu
    Che conosci il tempo dell'eternità
    E il sentiero stretto della verità
    Fa più luce dentro questo Cuore mio
    Questo cuore d'uomo che non sa, non sa:

    Che l'amore puo nascondere il dolore
    Come un fuoco ti può bruciare l'anima”

    Vejamos agora alguns anônimos e/ou o Nilo tecendo seus comentários à lá “Eu vivo sempre... No mundo da lua...”

    Ou seria apenas um Deus ex machina do autor para rechaçar qualquer crítica advinda das observações que vão além daquilo que intencionou mostrar?
    Seria triste, além da confecção de um doppelgänger.
    :)

    ResponderExcluir
  2. essas musas inspiradoras sempre voltam...

    ResponderExcluir
  3. Sempre voltam; se é que realmente se foram ;)

    E, Manuella, relaxe: isso aqui é apenas minha escrita vulgar. O mesmo espírito desde janeiro de 2011, quando comecei. Espero que esteja gostando :)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...